Monday, January 16, 2017

CRISE PRISIONAL E MEDO



Se você perguntasse que sentimento deveria nos provocar a realidade dos presídios brasileiros, eu diria “medo”. Óbvio. Ora, se os presos não têm segurança nos presídios, que segurança temos nas ruas, ou mesmo dentro de nossas residências.  O único lugar onde não deveria haver crime era onde os criminosos pagam pena por crime. A lógica é implacável. Do ponto de vista jurídico e estatal, trata-se de uma aberração. Agora, imagine se todos os meliantes estivessem nos presídios? No Brasil, há uma mesma quantidade de criminosos perambulando pelas ruas, indo a missa, comemorando aniversário e trocando soco em teatro de futebol.
Por outro lado, superpopulação carcerária também é agravada pela falta de assistência jurídica aos detentos. Há detentos que cumpriram pena e estão engaiolados, fumante de maconha preso como traficante e ladrão de galinha sem ser julgado. Depois, reclama-se da expansão dos Comandos do Crime, que se alastra, com a cooptação de novos soldados para os seus exércitos, cuja conversão pode ser sacramentada dentro dos próprios presídios. Ou você se filia a um deles, ou não terá segurança, se é que filiar-se lhe assegura a preservação da vida.
Todas as medidas que devem ser tomadas são conhecidas, mas há meio século deveriam ter sido tomadas. Porém, preocupação com preso só quem sente é a mãe do condenado. Político não quer saber de preso matando preso, preso matando policial nem policial eliminando criminoso, investir no combate a esta guerra intestina não lhe rende dividendo eleito. Aliás, se o fizer de mau jeito pode até custar-lhe a vida.
Enfim, é proibido traficar droga no Brasil? É proibido roubar no Brasil? No papel é, mas nas mentes, não. Pois, trafica-se droga e rouba-se nos presídios. Às vezes, no Congresso Nacional.  
Sosígenes Bittencourt     

Saturday, January 07, 2017

O TAL DO DINHEIRO



Dinheiro é faca de dois gumes. Há quem use o dinheiro para destruir a própria vida.
Ninguém é rico pelo que tem nem pobre pelo que não tem, mas pela noção
que tem do que tem. Senão, não haveria milionários se suicidando e lavadeiras sorrindo.
Dinheiro só serve quando soma. Porque há dinheiro que subtrai, tira a esposa, os filhos, dissolve a família, expulsa os amigos do convívio.

Geralmente, as pessoas que são infelizes porque não têm dinheiro, não têm noção do que é ter dinheiro. E as pessoas que invejam quem tem dinheiro, deveriam procurar saber se quem o tem, é feliz.

O mundo melhorou por causa da injeção de dinheiro que impulsionou o progresso, mas essa é uma avaliação objetiva. É preciso encarar que, numa avaliação subjetiva, o homem não se tornou mais feliz. A ciência e a tecnologia trouxeram mais conforto material para o homem, mas não lhe deram mais sabedoria.

Sosígenes Bittencourt

Wednesday, January 04, 2017

AMANDA É QUEM MANDA




Quem quer brincadeira com Amanda Nunes, a baiana de Pojuca, mantenedora do cinturão de campeã do peso-galo do UFC?

Cheia de direito, toda invocada, Amanda estraçalhou a norte-americana Ronda Rousey em menos de um minuto de round.

Depois, ainda deu ordem de silêncio à plateia com o dedinho no bico, cheia de munganga na maior baianada. Não respeitou a mandonista e beligerante nação de Barack Obama e Donald Trump. Esqueceu que estava em Las Vegas, na pátria de Tio Sam, e arriou o tacape na adversária.

Amanda não deu o menor cartaz à maior lutadora do MMA feminino do mundo. Deu-lhe uma sequência de socos de amarrotar-lhe a fisionomia.

Quem quer dar um puxavante no cinturão de Amanda, quem ousa assaltá-la?

Amanda? – é muita testosterona numa baiana só.

Sosígenes Bittencourt