Thursday, September 29, 2016

ESTUPRO E MULHER COM A NÁDEGA DE FORA

Eu costumo dizer que julgo ser mais prazeroso beijar uma mulher com o seu consentimento do que manter congresso sexual com uma mulher sem sua permissão. Contudo, no primeiro caso, o cidadão deve ser considerado um sujeito normal; no segundo, um psicopata. Um homem pode desejar uma mulher e mudar de tática para conquistá-la, mas não pode usá-la sem sua aprovação, é caso de Justiça.
Cada estuprador ataca sua vítima por questão singular. Há estuprador que enguiça o muro do cemitério para copular com uma falecida, confundindo estupro com profanação de cadáver.  Outro não pode ver uma mulher com a nádega de fora - o que não significa dizer que a vítima seja “cúmplice” - o seu azar será apenas a coincidência de cruzar com um “bundomaníaco”.
Oportuno salientar que o psicopata sabe exatamente o que está praticando, que está cometendo crime, que poderá ser linchado na via pública ou estuprado no cárcere, porém não consegue conter o seu apetite criminoso. Contrário ao  doido, que não sabe lidar com suas emoções e fica abestalhado, olhando para o objeto do desejo.
Portanto, descartemos a ideia de que homem pega mulher a pulso porque ela está com as fronteiras proibidas de fora. Um cidadão normal lança um galanteio, oferece-lhe uma rodada de chopp, ou a convida para dançar. O estuprador pega uma faca e fica por trás de uma parede, como num filme de terror. Às vezes, fica tão descontrolado que não escolhe o lugar e acaba nas mãos da população - doida por um tarado para descarregar o seu desejo de matar. Azar do estuprador.
Enfim, lugar de estuprador é preso, e mulher brasileira, se tivesse cautela, não andaria nua. O brasileiro, em geral, é enxerido, quando o  namorado vai urinar, ele tira sua namorada para dançar.
Cauteloso abraço!
Sosígenes Bittencourt
                                             





Monday, September 26, 2016

A PRIMAVERA

A primavera representa o nascimento, a infância, é hora matutina.
primavera é álacre como as flores que brotam à garoa fina.
primavera é aérea, esvoaçante, bela como cachos de menina.
primavera dá vontade de abraçar, libera ocitocina.
primavera é refrigerante, como se as flores espalhassem neblina.

Sosígenes Bittencourt

Wednesday, September 21, 2016

MORTE DE DOMINGOS MONTAGNE

Não sabia, ao almoçar no Canindé, ou mergulhar no Velho Chico, que aquele seria o seu derradeiro capítulo. Não suspeitava do desfecho da novela sem ensaio, o ator de Velho Chico.
Mas, Domingos Montagner desapareceu, como se encarnasse num ato, um personagem escalado para a morte. Gesticulou como se contracenasse, perdeu as forças como se imitasse a morte, emudeceu como se morresse.
Perpetua-se o silêncio profundo, Nunca mais retornará ao palco deste mundo.
Requiescat in Pace!
Sosígenes Bittencourt

Friday, September 16, 2016

7 DE SETEMBRO DE 2016 - BANDA PEDRO JORGE FRASSATI


FRAGMENTOS

Viva os portadores de deficiência nacionais! 
Nossos deficientes são mais eficientes 
que nossos ineficientes normais.
Sosígenes Bittencourt

Tuesday, September 13, 2016

BAIXARIAS ELEITORAIS

No Brasil, nenhum humorista tem tão fértil imaginação para disputar baixaria com a eleição.
Seu Pedro, candidato a vereador, em Leopoldina, Minas Gerais, pode não ser eleito, mas slogan para tanto tem demais:
COM XOXOTA NO PODER, O PAU VAI COMER.
XOXOTA NÃO PROMETE, XOXOTA DÁ.
Na época da eleição, a prefeita de uma pequena cidade resolve se reeleger. Como o seu apelido era Nem, ela pôs uma faixa com a seguinte oração:
"
NEM FEZ, NEM FAZ, NEM FARÁ.
Em Recife, um candidato, conhecido popularmente como João Doido, criou a seguinte propaganda: 
TENHA JUÍZO, VOTE EM JOÃO DOIDO.

Eleitoreiro abraço!
Sosígenes Bittencourt

APOIO CULTURAL

*Faintvisa *Marcone da Charque

*Lojas José de Lemos *Ronaldo Seguros

*Cooperativa Vitória *Tec-Info

*Veneza Material de Construção *Vereador Bau Nogueira

*Palácio dos Alimentos *Autoescola Dinâmica

*Edilson Protético 

*Espaço Básico *Casa Funerária Oliveira

EU E A BANDA PEDRO JORGE FRASSATI

Ilustre Profº Sosígenes, conforme combinado, eis a foto (destaque) com a bela jovem da banda musical Pedro Jorge Frassati
7 de setembro de 2016

Tuesday, September 06, 2016

7 DE SETEMBRO - NO TEMPO DE EU MENINO

Bacharel Mário Bezerra da Silva
Isso foi no tempo de Coca-Cola à base de noz de cola, acondicionada em garrafa de vidro. Hoje, toma-se xarope gaseificado em ampola de alumínio.
Uma noite, eu presenciei a banda do Colégio 3 de Agosto executar a "Marcha para a Cavalaria Ligeira", de Franz von Suppé, em frente à Igreja do Rosário dos Pretos. Foi um verdadeiro espetáculo!
Mário Bezerra me deu uma aula, no primeiro andar, sobre Análise Sintática, que nunca mais esqueci a diferença entre Sujeito e Predicado. Não imito direitinho, com o livro de Português, de José Brasileiro Vilanova, nas mãos, em respeito à alma do insigne diretor.
Vi, muitas vezes, o povo sair da calçada para o bel. Mário Bezerra desfilar de queixo erguido, meio de bandinha, com os sapatos rigorosamente engraxados. O paletó conhecia o caminho, da Rua Horácio de Barros à Praça 3 de Agosto.
Mário era perfeccionista, gostava dos pontos nos “ii”, por isso, chegado a uns histerismos quando desobedeciam suas ordens. Contam que Mário só tinha um pulmão, mas quando dava um grito, as colunas do colégio estremeciam.
Não obstante, foi o sujeito que botou moral em colégio, no município. Depois dele, já soube de aluno que urinou, do primeiro andar para o pátio, que nem um Dionísio desvairado, e menino que deu rasteira e puxavante de cabelo em professora de Moral e Cívica.
Reminiscente e patriótico abraço!
Sosígenes Bittencourt

Saturday, September 03, 2016

É A EVOLUÇÃO

Antigamente, no tempo do Maracujá-açu e da Laranja-de-Umbigo, o molho de coentro e o limão vinham como presentinho do feirante ao freguês. Hoje, um limão está pelo preço de uma jaca, e você não leva um bago de presente.
E sempre houve enchente, sempre houve dilúvio. É que o matuto de hoje quer andar de jeans e tênis de marca. Mas, tudo bem, É A EVOLUÇÃO. Afinal, evoluíram em tudo, na bebedeira, na desonestidade, nas safadezas carnais e na violência.
Antigamente, só se queria uma menina, para trabalhar de empregada doméstica, se fosse lá do sítio. Cabisbaixa e donzela. E hoje?
Hortifrutigranjeiro abraço!

Sosígenes Bittencourt