Friday, December 02, 2016

VANDALISMO, MANIFESTANTES E MANIFESTADOS



Vandalismo é ódio desorganizado. O sujeito que arenga com a esposa e chuta o cocão do cachorrinho não sabe o que faz com o ódio que sente.
Nas passeatas de protesto, existem MANIFESTANTES e MANIFESTADOS. O mascarado que revira o automóvel de um desconhecido, com raiva de uma Proposta de Emenda Constitucional,  perdeu o juízo, está drogado pelo ódio.
Os recentes episódios de Brasília revelam o desrespeito de quem reivindica direitos e a infiltração de baderneiros nos protestos. Quem pede justiça, não pode cometer injustiça, e desordeiro não quer a ordem, quer a desordem.
Também acho que a PEC 55, que visa reduzir os gastos públicos, seria menos importante, neste momento, do que o pacote de medidas para conter a corrupção. Porque os mesmos políticos que orquestraram o impeachment de Dilma estão tremendo de medo da Justiça e querendo se meter no procedimento dos juízes para conter o rito da apuração. Como se o PT fosse o mastro de um circo de corrupção e, com a sua demolição, as galerias se vissem sufocadas sob a  empanada da palhaçada.
Sosígenes Bittencourt

Thursday, December 01, 2016

HOMENAGEM A DILSON LIRA

Essa história de homenagear Dilson Lira é uma invenção arretada. E não custa parabenizar a Academia Vitoriense de Letras que promoveu Recital em sua memória. Se lá onde estiver, puder me ler, estará sorrindo, como sempre sorriu com minhas expressões.
Faz pouco tempo, eu ia atravessando a Avenida Mariana Amália, com o poeta Dilson Lira, quando ele parou no meio do trânsito e disse que havia sonhado com a Constelação de Eridanus, o Rio Celeste. Aí, eu, conduzindo-o pelo braço, relembrei: Nós somos do tempo que havia tempo de acompanhar a réstia do sol e contar estrelas.
Eu dizia a Dilson que não era muito chegado a CASAMENTO nem SEPULTAMENTO, talvez pela semelhança que enxergava entre as cerimônias. E ele botava pra rir.
Geralmente, lá na padaria, onde comia pão com bolo e chupava caramelo de café.
Aí, eu comentava: "Dilson, você vai viver muito porque não come e vai morrer porque não come." E ele botava pra rir.
Mas, Dilson não deu asas ao Mal de Alzheimer, decorou todas as poesias que confeccionou. E, falando-lhe sobre ser poeta, eu o homenageava com meus versos, a saber:
Essa história de ser poeta é dom.
Um bom dom.
O poeta não faz poesia com as flores,
com o mar,
com o céu,
sem a intenção de que você
habite sua poesia.
Ou seja,
sinta o aroma das flores,
a imensidão do mar,
o mistério do infinito.

Sosígenes Bittencourt

Wednesday, November 30, 2016

DESASTRE AÉREO – TRAGÉDIA OU DRAMA HUMANO?



depois de identificadas as causas do acidente com o avião que caiu na Colômbia, resultando na morte dos jogadores da Chapecoense e toda comitiva que os acompanhava, é que se poderá falar em tragédia. Por quê?  Porque tragédia, segundo entendiam os gregos é tudo aquilo que acontece sem a interferência do homem. Por exemplo, se um raio cai numa orla marítima e mata um homem na multidão, isto é uma tragédia. Por outro lado, se uma enchente alaga uma região, pela centésima vez, e flagela pessoas, as vítimas não terão sofrido uma tragédia, mas um drama humano, porque não tiveram como morar noutro lugar, ou persistiram em habitar na orla da enchente. 
Portanto, se for detectado que o avião que transportava os jogadores da Chapecoense caiu por causa de uma turbulência aérea, isto seria uma tragédia, porém, se a causa da queda foi falha elétrica na aeronave, fabricada há 17 anos e 8 meses, isto é drama humano.
Contudo, só nos resta sofrer as perdas humanas, orar por suas almas e observar o fato para saber se existe uma forma de evitar sua repetição, caso haja sido, comprovadamente, um drama humano. 
Requiescat in pace
Sosígenes Bittencourt

APOIO CULTURAL

*Faintvisa *Vereador Marcone da Charque

*Lojas José de Lemos *Ronaldo Seguros

*Cooperativa Vitória *Tec-Info

*Veneza Material de Construção *Vereador André de Bau

*Palácio dos Alimentos *Autoescola Dinâmica

*Edilson Protético 

*Espaço Básico *Casa Funerária Oliveira

Saturday, November 26, 2016

MORTE DE FIDEL CASTRO



Eu nunca tive adoração por Fidel Castro
nem o considerei um astro.
Não gosto de quem castra nada,
sobretudo ideia e palavra.
Fidel Castro nunca confiou na política norte-americana,
os norte-americanos nunca confiaram em Fidel Castro,
e eu nunca confiei em nem um dos dois.
Não sou adorador de ditador de nenhuma cor.
Sou muito desconfiado com a frase latina:
Si vis pacem para bellum
(Se queres a paz, prepara-te para a guerra.)
Sou mais a minha frase:
Si vis pacem para pacem
(Se queres a paz, prepara-te para a paz.)
Sosígenes Bittencourt