Monday, December 28, 2009

Visita a Gravatá

No último dia do ano, fui fazer uma visitinha a Gravatá, incentivado por Aninha Marques, atualmente fazendo locução na Rádio Metropolitana em Vitória de Santo Antão. Obrigado!
O centro da cidade estava movimentado, mas sem barulho, sem papel pelo chão, feira de mangalho, e outras poluições ambientais. No céu, parecia estar ligado um gigantesco condicionador de ar natural, promovendo abraços refrigerantes em cada esquina. Um cheiro de quintais, de jardins, de flores, frutas e folhas, revesando com um gustativo aroma de carne na brasa, frituras, doces, saladas, sucos, fustigando a língua, assanhando o estômago e provocando a imaginação.
Sentamo-nos por trás da igreja, naquela Varanda histórica, para degustar umas cevadas. Num instante anoiteceu. As luzes acenderam, e a cidade foi ficando iluminada, dando vontade de botar cadeira na calçada, para ver o povo passar, inalar o perfume das meninas. Mulheres que têm um jeito, uma pele e um rosto que só tem naquele lugar. Daí, eu chamar Aninha Marques de "um souvenir gravataense nas manhãs vitorienses". Arrisco até a repetir que quando envelhecer, vou morrer em Gravatá. Quero morrer sem alvoroço, para sentir calmamente a emoção derradeira da travessia final.
Depois, tomei o ônibus na rodoviária. Rodoviária é morada de saudade, inspira todo homem. E retornei para Vitória, mimado pelo balanço da viagem, meio entre dormindo e acordado, sem distinguir direito o que era sonho e o que era realidade. Tanto que saltei em Pombos.
- Professor, isso aí é Pombos.
- Desculpe, condutor, eu sou de Vitória - e reingressei no veículo, que mais parecia um edifício desfilando pela rodagem.
Sosígenes Bittencourt

Fala, Vitória

A RUA DA ÁGUIA

Outro dia, por ocasião de lenga-lenga no Orkut sobre a obstrução do centro da cidade pelas Feiras Livres, citaram a Rua da Águia. Como residi na Praça 13 de Maio, durante a primeira década de minha existência, fiz as seguintes alusões.
A Rua da Águia é a rua que mais tem nome em Vitória de Santo Antão. Ela já se chamou Rua Alexandre Luna, mudado para Rua André Vidal de Negreiros, atendendo também pelo nome de Barateiro e Rua da Maçonaria.
Quando menino, morei na Praça 13 de Maio, onde temos o Grupo Escolar Cardeal Roncalli, de frente para a antiga Feira das Panelas, hoje totalmente murado por barracas de alvenaria. Quando ali habitei, os feirantes punham suas frutas e verduras no chão, negociavam e depois recolhiam tudo. No Domingo, nós podíamos ouvir o ruído dos sapatos, ao caminhar por ela. Inclusive, o eco de nossos passos, caminhando pela Praça da Bandeira. Naquele tempo, podia-se recitar Castro Alves: A praça é do povo, como o céu é do condor.
Sosígenes Bittencourt

Saturday, December 26, 2009

Quadro de Frases


O mau exemplo dos governos termina sendo imitado pelos seus governados.
Maquiavel

As ideias de um filósofo mirim

Vinícius Bresser Grünwald, o Vico, tinha apenas 4 anos quando aprendeu que o Natal era muito mais do que um dia bom para ganhar presentes. Assim que soube do significado religioso da comemoração, filosofou sobre aquele que, até então, era o seu personagem preferido: o Papai Noel. “Ele parece Deus. Mas não é. Ele tem botas. Deus é descalço.
E Vico passou a colecionar tiradas dignas de registro. Certa vez, ao descobrir que seu ‘bingulim’ não tinha osso, começou a esticar e a puxar aquela delicada parte do corpo. Imediatamente, foi advertido pela mãe: “Vico, para com isso, vai acabar se machucando!
Em um lampejo freudiano, o pequeno filósofo, agora com 8 anos resumiu décadas de estudos psicanalíticos: “Mãe, você está falando isso porque você é menina e não pode fazer igual, você está com inveja do meu ‘bingulim’”, disse. Ponto para ele.
Mãe do garoto, a jornalista Deborah Bresser conta que após ouvir tantas ‘pérolas’ em casa resolveu reuni-las no livro ‘Vico, o Filhósofo‘, lançado semana passada.
Para o psiquiatra Içami Tiba, o livro pode ser um incentivo para os pais que ainda não prestam atenção naquilo que seus filhos dizem. “Ao ouvir as crianças, os pais podem descobrir talentos e tendências. Durante a infância, temos de ter o direito ao prazer da divagação. Ela é muito reveladora”, fala.

Wednesday, December 23, 2009

Nascimento de Jesus

O dia 25 do mês TIVET (dezembro), do calendário hebraico e babilônico, dia comemorado com festas oriundas da Grécia e de Roma, onde todo o povo participava, era o "Dies Natalis Invictis", comemoração do Solistício de Inverno, O Nascimento do Sol. No ano 343 d.C., o papa Júlio I, no Concílio de Serdica, transformou a festa do "Dies Natalis Invictis" em festa da cristantade, para comemorar o nascimento de Jesus.
No primeiro século d.C., o nascimento de Jesus era comemorado no mês ADAR (fevereiro e março).
*** *** *** *** ***
Papai Noel foi um bispo holandês de nome Nicolau, que, na noite fria de 25 de dezembro, em Amsterdan, saía do palácio episcopal, levando às costas um saco cheio de brinquedos, batendo às portas das residências, para distribuí-los com as crianças, em comemoração ao nascimento de Jesus.

Canção pra Papai Noel em Crise


Botei meu sapatinho
na janela do quintal.
Papai Noel levou
meu sapato de Natal.
Sosígenes Bittencourt

Tuesday, December 22, 2009

Fala, Vitória

Eduardo entre Elias e Aglailson em Vitória
Este é um sanduíche meio indigesto. O governador Eduardo Campos entre dois políticos desavindos, da derradeira campanha para prefeito em Vitória de Santo Antão, o atual prefeito Elias Lira e o ex-prefeito José Aglaílson. Eduardo veio entregar 458 casas populares e inaugurar o prédio da Ciretran. Como batessem boca, o governador teve que conter a arenga.
A impressão que temos é a de que o povo é menos importante do que seus Representantes. O que configura uma inversão da idéia de Democracia, onde todo poder emanaria do povo e em nome do povo deveria ser exercido. O que vemos é a população dividida em dois exércitos, insuflados pelos gladiadores que disputam o trono municipal. Quando, ao longo de décadas, abanam no rosto das gerações o que fizeram pelo povo, impõe-se a pergunta: E por que o povo anda numa pindaíba desgraçada? É muita benfeitoria e muito pouca serventia. As vaias dirigidas aos políticos é uma prova de que a democracia não se resume às eleições, ela é um processo e, como tal, não pode ser estanque. Ademais, na Era da Informática e da transparência global, fica cada vez mais difícil manter as oligarquias, escamotear verdades, camuflar-se. Os partidos políticos viraram buquês de letras, e o consumismo relegou as ideologias. A Esquerda e a Direita já não se matam pelo poder, entram em conchavo. E o Capitalismo, tal como o Comunismo, virou estátua de sal, como sucedeu a Lot, petrificada na contemplação do passado. O período é de transição, para alimentarmos um resquício de otimismo, em busca de outros "ismos".
Sosígenes Bittencourt

Monday, December 21, 2009

Retrospectiva

Há 22 anos
No Natal é preciso um certo cuidado. O menino Jesus está na lapinha, e a rua cheia de Judas Iscariotes.
De Pacote Econômico em Pacote Econômico, os ministros vão embrulhando o povo.
O sexo ficou para a cama, e os segredos do amor, para o coração.
Quem estiver atacado de amnésia, deverá estar esquecido de muita coisa que não vale a pena lembrar.
Se Deus fosse como os homens imaginam, Ele seria injusto.
(Dezembro - 1987)
Há 21 anos
Havia tanto devoto na procissão de Santa Luzia, que a vista não alcançava.
O presidente da República vai extinguir 6 ministérios. Tomara que não crie um para extingui-los.
Que ninguém, no próximo ano, contraia o vírus da aids, necessite de cirurgia pelo Inamps, nem receba a visita de um pistoleiro de aluguel.
Quando o ministro Maílson da Nóbrega quis dividir o pão com o povo, o povo levou o pitoco.
Cozinheira disse que viu o psiquiatra ser assassinado com o maior destempero.
(Dezembro - 1988)
Sosígenes Bittencourt

Friday, December 18, 2009

O costureiro do Diabo

Nem o conde Drácula, o demônio romeno que chupava sangue para sobreviver, acusado de sacrificar 30 mil almas, bulia com criança. Nem os diabólicos rituais vodu, onde se espeta agulha em boneco, bole com criança. Mas, em Ibotirama, na Bahia, padrasto engole corda de catimbozeira e enfia agulhas no corpo do enteado, apaixonado por uma vizinha. A idéia das sessões abracadabrantes era se vingar da mãe do menino e um pedido para os amantes ficarem juntos. As aplicações eram praticadas em rituais ditos religiosos. Confusão generalizada, manipulação do Capeta, artimanhas do Fute. Nem a mãe da criança constituía obstáculo à amigação daqueles fantoches de Satanás, nem religião alguma abençoa assassinos. A polícia prendeu o trio sanguinário, com o cuidado de evitar que a população esquartejasse o ‘costureiro do diabo’. As mulheres alinhavaram defesa, mas o assassino sustenta que foi influenciado por uma e ajudado por ambas. É o fim do mundo. Crianças herodianamente sacrificadas em nome de safadezas carnais de infanticidas covardes e desalmados. Títeres movimentados pelos carretéis do Cão. Agora, não tem costura que ajeite seus destinos. Nem amigação, nem macumba, nem liberdade. Além do perigo de serem ‘empalados’, como fazia o vampiro da Transilvânia com suas vítimas, enfiando-lhes estacas no ânus. Ou, à moda brasileira, morrerem no toro de pau, como quadrúpedes em matadouro medieval.
Sosígenes Bittencourt

Wednesday, December 16, 2009

Fala, Vitória

LENGA-LENGA NO ORKUT SOBRE FEIRAS LIVRES E CAOS URBANO
Extirpar aquela feira do centro da cidade é obra cirúrgica de urgência, pois trata-se de um infarto no coração da cidade, a merecer uma safena administrativa, há décadas. E não é demolir as alvenarias a golpes de picareta, chamar a cavalaria, a tropa de choque, etc. É trabalho que requer planejamento, competência. Aposto como, se transferirem a feira sem deixar raízes, a população seguirá o caminho e aplaudirá a mudança. Ali não cabe remendo, arrumação. É obra renovadora, de devolução das calçadas, ruas e praças à população. Se não houvesse dado certo em outros lugares, eu estaria calado. A questão é que, quanto mais demoram a enfrentar o problema, torna-se mais difícil sua resolução.
1) Esse pecado de lotear ruas, praças e calçadas fincou suas estacas em meados do século passado. Contudo, o agravamento do caos se estabelece a partir da substituição das barracas desmontáveis em boxes de alvenaria, convertidos, posteriormente, em casinhas de boneca, motéis improvisados, grutas de comparsas, etc.
2) Carrinhos de som, ou minitrios, desfilando na orla do meio-fio, tocando "fuleiragem music" para surdo ouvir, remonta à invenção de Dodô e Osmar, uma baianada absorvida pelos moradores da Terra dos Altos Coqueiros.
Forte abraço!
Sosígenes Bittencourt

Monday, December 14, 2009

Sacaneando os ladrões

Vamos sacanear os ladrões de celulares. Se seu celular foi roubado ou furtado, além de bloquear o chip, você poderá bloquear definitivamente o aparelho. Digitando *#06#, aparecerá o EMEI com uma numeração que deverá ser comunicada à operadora. O aparelho ficará bloqueado para qualquer tipo de chip de qualquer operadora.
Dryton Bandeira
Quer dizer, é como se estivéssemos fazendo o ladrão de idiota, ao invés de sabê-lo palitando os dentes. Já não basta a contrariedade de perder um bem na maioria das vezes adquirido com sacrifício e ver nossa agenda voar pelos ares. Portanto, passem o cursor sobre a matéria, transfiram, imprimam e conduzam como um documento.
Sosígenes Bittencourt

Roubo de Celular


Se o Brasil já tem 168 milhões de celulares em uso, e todo mundo já foi roubado, quantos ladrões tem o Brasil? Segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), são 87,6 % de brasileiros portando a mesma cibergeringonça no cós da calça. Parece que a mídia encontra mais vantagem em propalar o ensaque de dinheiro público em cueca, perpetrado por políticos cara de pau, do que encarcar em cima dessa legião de assaltantes que ronda nossas pegadas. Se ninguém escapa de ser roubado, dá a impressão de que há um meliante de plantão em cada esquina e não há polícia nem penitenciária que nos proteja. Estamos ferrados. Os lugares são todo lugar. Você pode ser roubado numa zona de baixo meretrício, numa universidade, ou num velório. Assaltantes invadiram um velório e deram um rapa nos entes queridos e todos que compareciam àquele ato de fé e caridade cristã. Não respeitam vivos nem mortos.
Fica Claro que você tem que ser Vivo e não dá um Oi a um estranho.
Sosígenes Bittencourt

Wednesday, December 09, 2009

O banco não tinha fundo

Esse país é uma brincadeira. Tudo cheira a fraude. Minha mãe ficou de cabelos brancos em sala de aula e chegou em casa dizendo que o caixa do banco não tinha dinheiro para que ela realizasse um saque. Quer dizer, ela tinha dinheiro na conta, mas o banco não tinha fundo. Só faltava essa. A cada dia que passa, a frase de Bertolt Brecht está mais na moda: "O que é um assalto a um banco, comparado com a fundação de um banco?"Ademais quando se trata de salário de professor aposentado, já enfrentando os achaques da velhice e precisando tratar da saúde.
Aliás, não adianta cobrar bom desempenho de professor, se o estado não fizer a sua parte. Professores mal remunerados, ensardinhados em ônibus ou encarapitados em mototáxis, recorrendo a agiota, não têm estímulo para se reciclar nem amar ao próximo como a si mesmos. É um descalabro!
Sosígenes Bittencourt

Friday, December 04, 2009

Um espetáculo vergonhoso

Se o espetáculo foi vergonhoso, o Grêmio foi o seu protagonista. Decididamente, não temos exemplo a dar às crianças. Depois de fraude no Enem, no concurso da Polícia Militar e dinheiro público ensacado em cueca de representantes do povo, o que temos mais a ensinar? E como o futebol poderia ficar fora desses maus exemplos? Aos gaúchos, os meus pêsames. Vocês não amam o seu estado. Aos torcedores do Grêmio, minha indignação. E não me venham dizer que o Grêmio não abriu, desde o momento em que dispensou os seus titulares. E para piorar a situação, a imprensa do sul teima em afirmar que o Flamengo é hexacampeão do Brasil. Uma vergonha! Defendem liberdade de imprensa e se vendem, mentem descaradamente. Desmoralizam a FIFA, a figura circunspecta de João Havelange, escandalizam para o mundo saber que somos uma nação sem vergonha. Que explicação daremos nós às crianças, depois de tamanha palhaçada? Qual o exemplo de honestidade que estaremos dando, depois de tanta falta de caráter? É bom lembrar que o Flamengo pode ter a maior torcida do país, mas ela não é maior do que as demais torcidas reunidas. O Brasil tem tudo para amanhecer indignado, principalmente os pernambucanos que viram o Sport ser campeão do Brasil em 1987 e, por isso mesmo, participar da Taça Libertadores da América.
Sosígenes Bittencourt

Dinheiro em cueca pra panetone

A cúpula do DEM, em Mato Grosso do Sul, anda dizendo que o envolvimento do governador do Distrito Federal em esquema de corrupção é um caso isolado. Mentira. Nem de filmagem seria. O mundo está cansado de saber que políticos brasileiros usam cueca como cofre portátil sem a menor cerimônia. Faz 4 aninhos que José Adalberto Vieira da Silva desfilou com 200 mil reais e 100 mil dólares na cueca no aeroporto de Congonhas. Foi uma vergonha.
Os moradores da capital federal desencadearam uma campanha contra o panetone, em protesto às explicações do governador, José Roberto Arruda, porque "o mesmo" - para usar uma linguagem policial - disse que os 50 mil reais ensacados na fralda eram para comprar panetone. O presidente da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente, explicou que colocou o dinheiro na meia porque não tinha pasta. Pobre imprudente, só faltou dizer que não tinha dinheiro para comprar pasta.
Depois deste "cueguete", ninguém dirá que tudo neste país dá em pizza. Está fora de moda. Dir-se-á que dá em panetone.
Tudo isso é falta de educação, gente que não ouve conselho. Esses abilhudos são do tempo em que não se entrava em casa com um limão sem dar explicação. Suas genitoras que o digam. Hoje, não podem ver o que é dos outros.
Tadinhas das meninas que carregam maconha na vagina, escavacadas nas delegacias, tomando tabefe no focinho e dedada; das ratazanas de potes de margarina, dos meninos doidos que passam pedrinhas de crack nas esquinas e terminam presos, com a cabeça lascada, ou de mãos enclavinhadas sobre o peito, apodrecendo no cemitério da cidade.
Sosígenes Bittencourt

Tuesday, December 01, 2009

Quadro de Frases



Os estudantes de vestibular estão carecas de saber que não se passa em vestibular sem saber.
Sosígenes Bittencourt

790 milhões para escolas técnicas

O Ministério da Educação (MEC) deve liberar até dezembro R$ 790 milhões para o programa Brasil Profissionalizado. Vinte três estados e o Distrito Federal vão receber os recursos para construção de escolas técnicas profissionalizantes ou reforma e ampliação das já existentes. De acordo com as propostas apresentadas pelos estados, serão construídas 77 escolas. Os estados do Amazonas e de Rondônia não aderiram ao programa.
Tudo isso é muito lindo. Seria muito bom que o MEC contruísse, e o estado, pelo menos, preservasse a obra de alvenaria. Ademais, escolas bem pintadas e aparelhadas não querem dizer absolutamente nada, se o ensino não for de qualidade e o aluno educado. Pasquale Cipro Neto diz que o Brasil precisa melhorar muito e o mais rápido possível. Não há ensino quando não há aprendizado. Não haverá aprendizado se o aluno não tiver educação e o professor não for qualificado. São requisitos fundamentais para o êxito do empreendimento, "conditio sine qua non" para a realização da obra. Também, a princípio, é preciso conhecer as intenções que jazem sob a obra.
Sosígenes Bittencourt

Saturday, November 28, 2009

Casamento gay em Saloá

Esses são, na realidade, José (de paletó), e Rogério (vestido de noiva), que se casaram em Saloá, no Agreste pernambucano. Anatomicamente masculinos, simbolizados pela Espada de Apolo, nem parecem, preferindo aderir ao Espelho de Vênus. Apesar de fantasiado de homem, o ajudante de pedreiro José Ricardo Rocha não gosta daquilo que mulher carrega no vértice das coxas. Já o cabeleireiro Rogério Lino da Silva, vulgo Paloma, com cara de homem e apetrechos genitais masculinos, gostaria de ser mulher. Pelo menos, é o que se presume, haja vista haverem se casado, na pequena Saloá, como mostra o figurino, com direito a padre, bênçãos e recíprocos desejos. Nem a visita do governador Eduardo Campos arrastou tanta gente no lugarejo de 15 mil almas agrestinas. Mas, não era para menos, teve bolo de três andares, música ao vivo, 6 grades de cerveja, 12 litros de rum Montilla e 7 litros de conhaque Dreher. E para evitar enxerimento, três seguranças de prontidão. A comemoração deu-se no Centro de Convivência de Idosos, animado pela Banda Espora de Prata, com cerca de 300 convidados. Se tudo der certo e viverem em paz, o casal ainda se dará ao luxo de aconselhar heterossexuais e homofóbicos que inventam de se casar e vivem arengando.
Sosígenes Bittencourt

Wednesday, November 25, 2009

Fala, Vitória

CIDADE EMPESTADA DE LADRÃO
A cidade está empestada de ladrão. Arrombam portas, abrem cadeados, entram pelos telhados, enguiçam muros, etc. Perigosíssimos! O evento dá-se a qualquer hora do dia ou da noite. É preciso dormir com um olho aberto e o outro fechado. Os gatunos andam armados, e quem levou revólver no focinho dentro de casa sabe o que é ter a vida periclitando nas mãos de um fora da lei desalmado.
Agora, imagine ruas no escuro. As ruas Euclides Nery de Oliveira e Célio Meira, em frente ao Clube dos Motoristas O Cisne, estão no escuro já há 20 dias. São essas festas promovidas dentro da rua, gambiarras e algazarras que deixam sequelas. Os promotores de orgia promovem a bagunça, ensacam o dinheiro e deixam o lixo para os moradores. Por isso que os vizinhos da AABB acabaram com festa na Associação. Eram calçadas mijadas, montanhas de loló consumidas, tiro para o alto, gritaria e fuleiragem music. O cancelamento das festas foi obra de gente graúda. Há zum-zum-zum de que constituíram advogado e desceram para o Recife.
Ontem, o jardim de uma casa aqui no bairro do Cajá amanheceu com as plantas pisadas e o reboco do muro esburacado. Pode ser ladrão safado e pode ser informante de quadrilha. Ladrões de quadrilha são mais ambiciosos, querem carro, jóias, cartão de banco. São grupos que dispõem de atiradores de elite e carregam habeas-corpus na pasta.
Alô, alô, Celpe! Celpe e demais autoridades, vocês que cobram tão direitinho, até taxa de iluminação enfiam nos cegos, manda dá uma olhadinha, que os ladrões estão empestando o bairro.
No mais, é com a fé e muita oração. Valha-nos, Deus!
Sosígenes Bittencourt

Friday, November 20, 2009

Geyse Arruda

Esta é a insuportavelmente amostrada Geyse Arruda. Olhando direitinho, se a moda pega, estudante para desfilar nu nas Universidades é o que não falta por esses brasis. Geyse sabia que sairia do anonimato. Pode ter sido uma jogada. Não é fácil aparecer, da noite para o dia, como aconteceu à estudante universitária que desfilou de minissaia, exibindo as fronteiras da genitália, provocando a reação coletiva dos bullies, aqueles alunos que não trocam de roupa para agredir colegas, física e psicologicamente.
Geyse não é lá essas coisas todas, mas dá para o gasto, assanhou invejosos e a taradolândia universitária. Observe-se que o strep tease deu-se na Universidade Bandeirante, em São Bernardo, e provocou o protesto de 25 alunos na Universidade de Brasília, que desfilaram nuzinhos, como se estivessem em Tambaba, na Paraíba. Imagine se o nordestino adere, com meninas engravidando na primeira menstruação e professoras levando rasteira e puxavante de cabelo nas escolas públicas e "nas privadas".
Boa sorte!
Sosígenes Bittencourt

Wednesday, November 18, 2009

Bolsa Celular

Esta charge satiriza o Bolsa Celular, que seria concedida a quem recebe Bolsa Família. O ministro das Comunicações, Hélio Costa, anda dizendo que a ideia partiu das empresas, procurando descartar o caráter assistencialista de sua proposta. Ressalva que "o objetivo é levar o celular às camadas mais carentes da população, que em condições normais não conseguiriam comprar o telefone". Quer dizer, em condições anormais, aqueles que não têm juízo para serem pobres, ou obteriam por assalto, ou comprando na feira do troca-troca.
Esta charge também me faz lembrar uma reportagem que mostrava mendigos sendo importunados por assistentes sociais, com comida e cobertores, durante a madrugada.
Fique ligado!
Sosígenes Bittencourt

Tuesday, November 17, 2009

Filhos da mãe

A Associação Pernambucana de Mães Solteiras (Apemas), acaba de revelar que 19.352 crianças que vieram ao mundo entre 2005 e 2008, em Pernambuco, encontram-se sem pai no registro de nascimento. Oxalá, saibam suas genitoras quem as fecundou. Quem fez o rastreamento em 37 cartórios do grande Recife, de maio a setembro, para a confecção do Mapa, foram a socióloga Mônica Villaça e a assistente social Mônica Regina. Já se pensa, inclusive, em promover políticas públicas para acudir essas vítimas fatais do abandono.
Misericórdias à parte, é difícil acreditar que ainda haja tanta mulher inocente, quando desde a menarca (primeira menstruação) aprenderam todo item do cardápio sexual. Compreendo que a Justiça deve ser severíssima com a paternidade, não deixando crianças ao custeio solitário da mãe. Porém, é preciso que a mulherada tenha mais respeito pela vida. Afinal de contas, homem não engravida, e os mais cínicos não fazem cerimônia na hora de embuchar uma fêmea. Portanto, caberia à mulher, sede da maternidade viva, impor alguma condição para a relação por prazer. Se quer ser uma Surfistinha da vida, ninguém aqui é puritano para criticar, mas gerar filho sem saber de onde veio o espermatozóide é muita sacanagem com a obra de Deus.
Sosígenes Bittencourt

Lula no Ranking da revista Forbes

O presidente Lula foi considerado a 33ª pessoa mais poderosa do mundo pela revista americana Forbes. O primeiro é o xerife do planeta, Barack Obama, seguido pelo presidente da China, Hu Jintao, e pelo premiê e ex-presidente russo Vladimir Putin.
A revista baseou-se na influência que as 67 personalidades têm sobre as pessoas, o controle sobre grandes recursos financeiros e seu poder em múltiplas esferas. Daí, até Osama bin Laden aparecer em 37° lugar.
A escolha de Lula aparece justificada porque “governa o maior produtor de alimentos do mundo, o maior exportador de açúcar, de suco de laranja, de café, de carne e de frango”.
O ranking traz ainda o governador do Mato Grosso, Blairo Maggi, que é o maior produtor mundial de soja, na 62ª posição. Bom relembrar que Maggi foi acusado de desmatar a floresta amazônica, pelo que recebeu o prêmio "Motosserra de Ouro", da ONG Greenpeace, em 2005.
Também convém salientar que o Brasil é o país mais rico entre os países com maior número de miseráveis. Em maio de 2006, a Isto É, por Ricardo Mendonça, publicou que o Brasil era a nona economia do mundo, com 57 milhões de pobres e, dentres esses, 22 milhões de miseráveis. Quer dizer, não nos faltam alimentos, falta alimentação. Se forrássemos na mesa do pobre o que atiramos no lixo, não haveria fome.
Um abraço!
Sosígenes Bittencourt

Monday, November 16, 2009

Fala, Vitória

Esculhambação no bairro do Cajá
Antigamente, o cabaré da cidade era lá na Rua Primitivo de Miranda. Era opcional, ia quem queria. Hoje, pode ser na sua rua, na porta da sua casa. Basta alguém querer ganhar um dinheirinho às custas do seu desassossego. Foi o que aconteceu, por exemplo, Sábado, 13, no pátio de eventos do Clube dos Motoristas O Cisne, no bairro do Cajá. O conjunto era daqueles que canta MÚSICA PRA PULAR BRASILEIRA. A macacada invade a rua, arrebita mala de carro, explode decibéis no pé do ouvido da velharada, tira a camisa e enrola no punho, troca umbigada, pita marijuana, urina nas calçadas e se escancha como imitasse o concurso carnal. Observe que o signatário que vos redige gosta de dança e frequentou cabaré. Só que Zona de Baixo Meretrício era lá no seu lugar. A gente trocava de roupa, botava perfume e ia namorar. Havia norma no puteiro, ninguém chamava nem nome feio. Hoje, se você quiser ver o que é esculhambação, sente-se numa praça ou vá para a porta de um colégio. E se resolver entrar, tenha cuidado. Um aluno malvado pode confundi-lo com um professor, lhe puxar pelo cabelo ou dar-lhe uma rasteira.
Boa sorte e aquele abraço!
Sosígenes Bittencourt

Fala, Vitória

Um grande carnaval fora de época, ocorrido em 31 de outubro, marcou o início das comemorações dos 50 anos de fundação do querido Vera Cruz Futebol Clube.
Ao som de Pierry e Banda, os torcedores-foliões aproveitaram a festa com muita paz, alegria e descontração, onde o ponto alto do evento foram as várias manifestações de carinho por parte dos vitorienses pelo mais novo cinqüentão da Terra das Tabocas!
Emocionado, o presidente do Vera Cruz, Fernando Nogueira, falou do seu contentamento em ver o Clube crescer a cada dia e, de forma crescente, conquistando mais e mais torcedores. “O desportista da nossa cidade e região acredita em nosso trabalho sério, honesto e digno. 2010 será o grande ano do Vera Cruz na elite do futebol pernambucano”, destacou.
A Diretoria do Galo agradece o apoio da Polícia Militar, aos funcionários do Clube, aos seguranças e a todos aqueles que, de forma direta ou indireta, garantiram o grande sucesso que foi o carnaval dos 50 anos. Outras surpresas virão por aí. Aguardem!

Por: Melicio Oliveira

A Síndrome da Segunda-feira

Lendo sobre o mal que a segunda-feira causa em certas pessoas e empresas, encontrei esse artigo que tem uma sinopse de causas e efeitos ilustrativo.
"COMO DIAGNOSTICAR A SÍNDROME DA SEGUNDA-FEIRA.
Primeiramente sugerimos que você responda às seguintes perguntas através do SIM ou NÃO.
a) Você sente-se entediado no Domingo à noite, já pensando no trabalho no dia seguinte?
b) Aquilo que você mais gostava de fazer já não o satisfaz mais?
c) Ao levantar-se não só na segunda-feira, como nos demais dias para ir ao trabalho, é um dilema?
d) O seu trabalho virou uma rotina sem produzir nada de criativo?
e) O seu superior o avalia apenas por aquilo que você faz e não aquilo que você ainda pode fazer?
f) Existem pessoas na sua Empresa com o mesmo sintoma de algumas das alternativas anteriores?
Se o resultado for mais SIM do que NÃO, você pode estar com a SÍNDROME DA SEGUNDA-FEIRA, e se sua resposta for SIM na pergunta f, a sua Empresa também está doente.
Muitas empresas se vangloriam em ser a maior fábrica, o maior banco, a maior exportadora, a maior disso ou daquilo e isto não é suficiente, pois grandes corporações quebraram da noite para o dia, as quais já se encontravam doentes e não perceberam a gravidade da doença, tendo sido consumidas como num tsunami."

Uma das atitudes que sugiro para você fazer o que gosta é aprender a gostar do que faz. E uma das tentativas de alcançar este objetivo é procurar fazer bem feito. Uma de minhas praticas mais eficazes é organizar o ambiente de trabalho, tanto do ponto de vista estético quanto do ponto de vista burocrático. Quem chega em meu ambiente de trabalho, sente a impressão de que há vários funcionários trabalhando. No entanto, produzo tudo sozinho, embora não saiba até quando.

Bom dia e aquele abraço!

Sosígenes Bittencourt

Friday, November 13, 2009

No escuro

Faltou luz na cidade. Certa vez, revelou Drummond, em verso, "Começo a ver no escuro um novo tom de escuro".
Como quase não falta luz na cidade, aproveitei para olhar para o céu, contar estrelas e inalar o aroma da noite. Faltou o coral dos grilos que, antigamente, compunha a sonoplastia das estrelas. Era direitinho o cheiro da década de 60. Lembrei-me da angústia horaciana sobre a brevidade da vida: "Ai de nós, o tempo corre célere" (Eheu! fugaces labuntur anni.) E recordei os versos da música Twilight Time:
Deep in the dark your kiss will thrill me like days of old
(Bem no escuro seu beijo me arrebatará como antigamente)
Lighting the spark of love that fills me with dreams untold
(Acendendo a faísca do amor que me preenche com sonhos não revelados)
Each day I pray for evening just to be with you
(A cada dia eu rezo para que chegue a noite, só para estar com você)
Together, at last, at Twilight Time.
(Juntos, finalmente, à hora do crepúsculo)
Sosígenes Bittencourt

Wednesday, November 11, 2009

Fala, Vitória

Lengalenga no Orkut sobre Pátio da Matriz e Livramento

Obviamente que não chamei todos que frequentam praças públicas em Vitória de marginais. Porém, me referi aos perturbadores e marginais que frequentam essas praças, porque malhavam o pau em Comunidade de Vitória no Orkut, comparando o que eram os ambientes antigamente e o que são hoje. Contudo, o meu quadro sinóptico gerou insatisfação. Vamos a minha postagem:
A diferença entre Matriz e Livramento é de classes sociais.
O marginal da Matriz é de classe média alta.
O marginal do Livramento é de classe média baixa pra baixo.
O drogado da Matriz compra droga com o dinheiro do pai.
O drogado do Livramento compra com o dinheiro dos outros.
O estuprador da Matriz estupra gente de sua laia.
O estuprador do Livramento estupra todo mundo.
O portador de arma da Matriz atira para se amostrar.
O portador de arma do Livramento atira para matar.
O assaltante da Matriz assalta para se divertir.
O assaltante do Livramento assalta porque vive lascado.
Enfim, só acontece o contrário, quando eles mudam de lugar, ou seja, o da Matriz vai para o Livramento, ou o do Livramento vem para a Matriz. Isso porque Vitória é no sentido Matriz-Livramento.
Quem sai da Matriz, VAI.
Quem sai do Livramento, VEM.
Forte abraço!
Sosígenes Bittencourt

Monday, November 09, 2009

O Herodes de Jardim Barra de Santana

Crime hediondo aconteceu em Jardim Barra de Santana, Vitória de Santo Antão. Sob o fogo cruzado de uma relação passional entre adultos, menina de 8 anos recebe os estilhaços e é assassinada. É o seguinte. A mulher deixou o marido e arrumou um pior. Não se sabe se dona Rosimere deixou o marido por ódio, ou porque se apaixonou por Guga, o futuro assassino de sua menina. Porque pode ter sido por vingança do primeiro que arrumou o segundo. Ciúme, ódio, safadezas carnais. Tanto que gritava com o ex-marido na Delegacia, embora sua filha estivesse morta. Burra e miserável, buscava inocentar o criminoso, o Herodes de sua filha, o abutre do seu rebento. Mas ele, misto de desumano e doido, deve ter tomado um pau na caveira que terminou confessando o crime. Expeliu, inclusive, que matou a menina para se vingar do pai e ex-marido da imbecil Rosimere Laurentina da Silva. Quer dizer, a menina pagou o pato por causa de adultos pervertidos e malvados. E Adriano Soares de Moura matou Adriana Laurentino da Silva. Disse que a menina era desobediente. Bela explicação para justificar haver enxaguado as mãos no sangue de uma criança, para depois morrer no cacete, feito um fantoche de Satanás.
Enfim, todos tiveram sua parcela de culpa. O pai, que foi omisso; os vizinhos, idem, e a mãe, que via a menor apanhando do endemoniado e não tinha coragem de tomar uma providência. Ai dela, se a Delegada comprovar sua conivência, e a Justiça entregá-la ao Tribunal do Júri. Ela vai chorar, acocorada numa masmorra durante muitos e muitos anos. O resto é com a Transcendência.
Sosígenes Bittencourt

Saturday, November 07, 2009

Fala, Vitória

Marcos Antonio canta no Clube dos Motoristas
Ontem, sábado, dia 07/11/2009, o cantor evangélico de música Gospel Marcos Antonio veio se apresentar no Clube dos Motoristas O Cisne. O bairro foi invadido por evangélico de todo naipe. Mas, todo mundo vestidinho, perfumado e bem comportado. Não havia barraca de bebida nem agarradio. Na saída, a multidão parecia estar acompanhando um sepultamento, não se ouvia um grito, nada de algazarra, até as crianças falavam baixo. Hoje, de manhã, não havia um fiapo no chão, tudo rigorosamente limpo. Quer dizer, não é porque estou acostumado a frequentar fuá, que eu deva ser hipócrita, e dizer que o show de Marcos Antonio não foi um espetáculo de civilidade, um exemplo de bom comportamento e respeito. Da mesma forma, eu bebo e não defendo alcoolismo, fumo (pouquíssimo) e não defendo tabagismo. Sejamos sinceros. Não custa nada e é bonito pra caramba.
Forte abraço!
Sosígenes Bittencourt

A Incólume Artesã

A arte de Sumaya Bittencourt é de uma singularidade impressionante. Não só pela imensa qualidade indiscutível em seus versos, mas pela sua ousadia em publicá-los em livro. Sim! Publicar é de uma ousadia imensa. É abrir-se por inteiro para que desconhecidos mergulhem em seu interior sem estar preocupado com absolutamente nada. A autora e a obra vivem um verdadeiro paradoxo. De um lado, a autora afirma: “Nunca me disse poeta” do outro a obra descaradamente lhe contradiz, classificando-a não só como poeta, mas como uma daquelas que verdadeiramente exprimem o sentimento humano. Criar é inerente à vontade do homem, como ser. Criar algo com qualidade é outra história. O livro de Sumaya está muito bom. São 38 poesias organizadas em quatro partes que complementam o seu título. Belamente ilustrado pelo André Macambira e publicado pela Editora Baraúna, sob supervisão editorial do escritor que vos fala e coordenado pelo escritor José Ricardo Paes Barreto.
Arquiles Petrus

Friday, November 06, 2009

A Poesia é essencial

MEMÓRIA
Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.
Carlos Drummond de Andrade

Obs: A palavra "olvido" não se refere ao aparelho auditivo, mas ao verbo "olvidar", ou seja, "esquecer", "apagar da lembrança".

Thursday, November 05, 2009

Assistindo ao Programa do Jô

Estava ontem assitindo ao Programa do Jô, quando ele contou essa, que deve ter sido escolhida entre os e-mails que recebe.
O cara só é realmente rico depois dos 80. Porque tem prata no cabelo, ouro nos dentes, pedra nos rins, chumbo nos pés e é uma fonte inesgotável de gases naturais.
Sosígenes Bittencourt

Wednesday, November 04, 2009

Bárbara Paz

Esta é a insuportavelmente aveludada e tetosa, em postura barbaramente felina, Bárbara Paz. É de tirar a paz. Balzaquiana de 34 primaveras, nem parece. Em Viver a Vida, vive Renata. Uma barbaridade!
Sosígenes Bittencourt

Tuesday, November 03, 2009

Medo de voar

A queda do helicóptero da FAB no Rio Ituí, no Amazonas, reacende a velha discussão sobre o medo de voar. Ao comum dos mortais, a sobrevivência de 9 tripulantes parece conto de fadas, obra da transcendência ou milagre divino. Se existe céu por merecimento, Marcelo Santos Dias deve estar com Deus. Ele salvou todo mundo e morreu, já sem forças, agarrado com a aeronave.
Vinicius de Moraes dizia que "tinha medo de avião porque não tinha asas". Era um brincalhão. Já o cartunista Jaguar disse "não ter medo de avião, ter medo de aeroporto". Tem lógica. E Ariano Suassuna revelou "não ficar impressionado quando um avião cai, mas quando ele sobe".
Em 1996, folheando uma edição da Isto É, abri numa crônica de Ronaldo Jenkins de Lemos, sob o título "Os riscos de Voar", onde ele comparava os perigos de voar com outros perigos. Por exemplo, ilustrava que andar de bicicleta é 8,3 vezes mais perigoso que voar, e viajar de carro é 475 vezes mais arriscado que viajar de avião. E o mais curioso é que realizar atividades domésticas é 218 vezes mais arriscado do que fazer um voo. Não sei se essa estatística nos consola, ou nos deixa mais apavorados com a vida.
Boa sorte!
Sosígenes Bittencourt

Sunday, November 01, 2009

Fala, Vitória

ATROPELAMENTO
Semana passada, vi uma cena que preferiria não ter visto. Foi no horário do almoço, quando eu escalava a Praça do Livramento. Um menino atropelou um carro e estava em posição fetal sobre o asfalto. Sim, porque disseram que o carro vinha devagar e o menino atravessou a rua correndo. É bem provável. A rua é larga, lá em frente ao tanque do jacaré. Porém, o pior não foi o atropelamento, foi o socorro. A população se juntou em torno do menino e ninguém fazia nada. Além do asfalto pegando fogo, a procissão barulhenta dos curiosos. Diziam que em atropelado não se pega, é perigoso. Também não se sabia se haviam chamado uma ambulância nem a que horas chegaria. Tive que me meter. "Olha, pessoal, pega esse menino com jeito e leva para o hospital; senão, quando a ambulância chegar, já será missa de sétimo dia". Aí, foi que uns marmanjos se tocaram, puseram o menor numa Kombi e arrepiaram carreira para um Pronto Socorro. Todos nós sabemos que é perigoso botar a mão em atropelado; que o socorro pode merecer, por exemplo, imobilização da coluna cervical. Contudo, para isso, seria preciso socorro imediato. Porque o acidentado pode estar em contagem regressiva, dentro da janela terapêutica, e vir a falecer por falta de atendimento. E aí? Dá para ficar contemplando uma criança estatelada no asfalto, fazendo alvoroço, esperando por um traumatologista? Com a palavra, uma genitora que visse um filho naquele estado.
Sosígenes Bittencourt

Monday, October 26, 2009

Estudando Português

Estava lendo jornais, de madrugada, para recortar matérias e arquivar em meu histórico Acervo de Assuntos, quando me deparei com uma frase numa crônica de Flávia de Gusmão, intitulada A Grande Arte da Sabotagem. Ela dizia "O exercício da autossabotagem transforma nossa autoestima em pó..." É óbvio que, lendo com atenção na forma e no conteúdo, matutei sobre dois casos registrados no VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa), publicado pela Academia Brasileira de Letras em março de 2009.
Eram exemplos: autoSSabotagem e autOEstima. Portanto, olho na regra, concurseiros, vestibulandos, profissionais liberais e demais animais racionais.
1) Se o prefixo terminar por vogal e a outra palavra começar por R ou S, dobram-se essas letras. Exemplos:
mini + saia = miniSSaia
ultra + som = ultraSSom
anti + racismo = antiRRacismo
semi + reta = semiRReta
Portanto: auto + sabotagem = autoSSabotagem
2) Não se usa o hífen se o prefixo terminar com letra diferente daquela com que se inicia a outra palavra. Exemplos:
auto + escola = autOEscola
super + sônico = supeRSônico
agro + industrial = agrOIndustrial
semi + círculo = semICírculo
Portanto: auto + estima = autOEstima

Quem se debruça sobre um texto, sem se concentrar na forma e no conteúdo, pensa que está lendo, mas na verdade está soletrando.

Forte abraço!
Sosígenes Bittencourt

Rondando o Orkut

Nada melhor, para começar a semana, espantar a melancolia da segunda-feira da forma mais descontraída, do que esta postagem que encontrei, rondando o Orkut neste final de semana. Vê só:
VC NÃO É A REDE GLOBO
mas tem 99% da minha audiência
VC NÃO É PIZZA
mas é massa ...
VC NÃO É PALITO
mas é gente fina
VC NÃO É O PROGRAMA DO GUGU
mas é legal
VC NÃO É PROMOÇÃO
mas é um barato
VC NÃO É REVISTA
mas estou Contigo
VC NÃO É BRAHMA
mas é número 1
ENFIM, MEU CARINHO POR VC NÃO É A "TIM"
mas é sem fronteira!!!!
Acredite se quiser.

Friday, October 23, 2009

A Vida Depende do Seu Voto

Está em curso uma estratégia internacional para legalizar o aborto no mundo, dentro da qual o Brasil é alvo prioritário, por ser um mercado financeiramente promissor para as indústrias do aborto, pesquisas com seres humanos vivos, etc.
Com este pensamento, está tramitando no Congresso Nacional, para ser votado pelos nossos Deputados e Senadores, a PL. 1.135/91, cuja ideia é autorizar o assassinato de crianças ainda na barriga da mãe até o nono mês.
O Movimento Nacional da Cidadania Pela Vida – Brasil Sem Aborto, preocupado com a tramitação da PL. 1.135/91, lança em Pernambuco, através do Comitê Pernambucano da Cidadania Pela Vida ( CPV-PE), a campanha permanente: A Vida Depende do Seu Voto.
É uma campanha suprapartidária.
Procure saber o que pensam seus candidatos sobre este assunto e escolha aquele que tenha compromisso com o maior de todos os direitos do ser humano: A Vida.
Por seu um dom de Deus, a Vida pede respeito.

Thursday, October 22, 2009

Retrospectiva

No silêncio dos motéis, multiplicam-se as sementes do aborto.
Na cidade, todo dia, dorme um homem sadio e acorda candidato a vereador.
Os estudantes do vestibular sempre acharam Drummond “uma pedra no meio do caminho”.
A televisão não ensina a pescar, ensina a desejar o peixe.
A Demagogia é o governo do governo, pelo governo, para o governo.
Tomou um choque, agarrado na conta da luz.
(Setembro - 1987)
O presidente, por ocasião do desfile, foi aplaudido com a boca.
O Brasil deverá ser campeão olímpico em arremesso de empregado ao olho da rua.
A ideia de que fumar é prejudicial à saúde deve ser intragável para o fumante inveterado.
Não sou candidato a vereador, sou candidato a eleitor.
(Setembro - 1988)
Sosígenes Bittencourt

Fala, Vitória


CINQUENTENÁRIO DO VERA CRUZ
No dia 3 de fevereiro de 2010, o Vera Cruz Futebol Clube completará os seus 50 anos de fundação. E, para comemorar a data, a diretoria do Clube prepara um grande carnaval fora de época, no dia 31 de outubro, para homenagear o mais novo “cinquentão” da Vitória de Santo Antão.
Como tradição de prestigiar os grandes valores da terra, Pierre e Banda farão a animação da grande festa que promete entrar para a história da Terra das Tabocas.
Para o torcedor do Vera Cruz que quer prestigiar o evento a diretoria informa que os kits custarão R$ 20 e serão comercializados nas lojas do comércio vitoriense dentro em breve.
O carnaval do Vera Cruz terá a sua concentração na Praça do Livramento, a partir das 20h.

Por: Melicio Oliveira

Tuesday, October 20, 2009

Macacos me mordam

Macacos me mordam se eu não vi esse filme antes. Traficantes pintando miséria no Rio de Janeiro. Datena é que estava escandalizado, na televisão, perguntando pelo dinheiro da Segurança Pública. A resposta é simples: o gato comeu. Quer dizer, o rato. Porque o jornalista dizia que os políticos haviam passado a mão no dinheiro do povo. Uma senhora, coitada, em pânico, dizia que tinha até vontade de ir embora do Rio. Também, não é para menos, os narcotraficantes derrubaram helicóptero, mataram policiais e moradores inocentes, incendiaram ônibus, deram toque de recolher e foram dormir. Até tomaram café, escovaram os dentes e desligaram os celulares para não serem incomodados. Diz que oferecem aos “morradores” melhor assistência do que o Estado. Lá tem bolsa-família, sopão, dentista e auxílio-funeral. O ruim é que tem julgamento a céu aberto, execução e sepultamento com ameaça. Também não é bom viver desconfiado que nem menino obrado, entre policiais e traficantes, sem saber de onde virá o tiro. As autoridades concedem entrevistas ameaçando mudar o panorama na base da força, mas ninguém acredita. Pensa que é conversa mole pra boi dormir. E a macacada fica com medo, no Morro dos Macacos e demais viveiros cariocas, pagando impostos e tratados como animais pelos irracionais. Chega a ser tragicômico. Eu chega rio.
Sosígenes Bittencourt

Monday, October 19, 2009

As Sereias e os Sonhos

Para aqueles que acham que futebol é negócio pra homem, ninguém melhor do que a jogadora Marta, com a autoridade que tem como goleadora, abanando a bola no focinho dos machistas e dizendo que futebol também é coisa de mulher. Ai de nós, habitantes do “País do Futebol”, não fossem as meninas nesse final de semana. Depois que nossa Seleção Sub-20 perdeu nos pênaltis para os africanos de Ghana, só a gana das bailarinas da Vila, enfiando 9 a 0 nas paraguaias da Universidad Autónoma, para nos resgatar do pesadelo e aliviar o coração.
Costumo dizer que se desaparecessem todas as mulheres do mundo, eu mandaria dar baixa na minha Carteira Profissional. Não iria trabalhar para sustentar um solitário como eu. Pois bem... As Sereias da Vila me tiraram da solidão. Conheço uma reflexão que diz que amar é chamar o outro para fora de sua solidão.
Por incrível que possa parecer, acho mulher jogando bola a coisa mais sensual. É tudo de bom. O drible, o requebro, a malemolência, a leveza, o gol, tudo ganha uma emoção diferente, um frescor, uma carícia, como se naquele instante a mulher estivesse a nos salvar, a nos devolver a capacidade de sonhar.
Aprendi, com o tempo, a gostar de mulher fazendo tudo. Por exemplo, achei emocionante aquelas meninas trabalhando no Corpo de Bombeiros, embora fardadas, de revólver no coldre e apagando incêndio. Elas dão um toque diferente na Corporação. Parece que estamos vivendo um romance, uma ficção, um sonho dentro da realidade.
Portanto, nada melhor para celebrar, no Dia dos Comerciários, do que a vitória das Sereias da Vila, depois das tragédias que os homens protagonizaram, perdendo de Ghana, na África do Sul, e derrubando helicóptero, a bala, no Rio de Janeiro.
Forte abraço!
Sosígenes Bittencourt

Friday, October 16, 2009

Fala, Vitória

Eis uma excelente opção para os amantes da noite, às sextas-feiras, em Vitória de Santo Antão. O show de MPB ao vivo e em videoclips, com Exposições Artísticas no Restaurante e Churrascaria Gamela de Ouro. O Projeto é uma invenção da criativa e excepcional comunicadora de mídia, a gravataense Aninha Marques. Aninha tem programa, todas as manhãs, na Rádio Tabocas FM e é patrocinadora da exposição de Quadro de Frases deste blog, a ciber-revista Fragmentos.
Sosígenes Bittencourt

Wednesday, October 14, 2009

Pedofilia Feminina

Ninguém fala em pedofilia feminina. Todo dia, vemos um macho garroteado para o xadrez, a bordo de camburão, por ter abusado de criança. Inclusive, tendo a Polícia um papel preponderante em evitar o linchamento do pedófilo. No entanto, não vemos a mesma atitude em relação a mulheres que abusam sexualmente de crianças. Evidentemente que há casos em toda parte, mas a sociedade parece encarar o abuso sexual praticado por mulher de maneira diferente. Aliás, desde antigamente, existem pais que se gabam de haverem levado seus filhos para tirar o “queijo” na Zona de Baixo Meretrício. Nem respeitam a Psicologia. Crianças dos sexo masculino, abusadas por mulheres, podem reagir de maneira adversa à esperada por seus vaidosos pais. Já vi inúmeras mulheres confessarem que mudaram para lésbicas, depois de terem sido maltratadas por homens. E por que isso não pode acontecer com uma criança do sexo masculino? O tiro sair pela culatra? Talvez, a sociedade esteja focando o lado meramente físico do contato, deduzindo que no caso do abuso sexual feminino não haja estupro e, por isso, não se caracterize a violência. E até ache bonitinho um meninão namorando com a professora, um futuro garanhão, um baita sedutor.
O que me fez matutar sobre essa polêmica foi uma reflexão do artista plástico Francisco Brennand, publicada em abril de 2004, quando diz que “O auge da beleza na mulher se dá entre os 15 e 20 anos. Não sou freudiano, mas depois dessa idade elas perdem um certo frescor e alegria que a virgem tem.” Contudo - convém lembrar - quando a mulher sai da adolescência, o frescor que se vai pode ser substituído pela frescura da idade adulta. Conheço balzaquianas que não podem ver um fedelho. E aqui me lembro do sociólogo Gilberto Freire quando afirmava que o brasileiro tem dois padrões de moral, um para atacar e outro para se defender. Costumo dizer que o brasileiro é a favor da Pena de Morte para os outros, e do Topless na mulher dos outros. O grande equívoco é imaginar que o menino abusado não sofrerá as mesmas consequências que uma menina sexualmente abusada.
Sosígenes Bittencourt

Elucubração

Observem o que li, de madrugadinha, para dividir com vocês o prazer da leitura.

"Meus filhos não bebem nem fumam. Às vezes, eu brinco com o meu menor, falo para ele dar um tapa na cerveja. Sem chance. O mais velho é a mesma coisa. Eles são muito estudiosos. Tiram de 8,5 para cima. E eu estou sempre cobrando um bom desempenho deles."
Zeca Pagodinho (VEJA-24/03/2004)

"Os seres humanos sabem que vão morrer. Têm plena consciência disso. E no entanto vão tocando como se não tivessem um encontro marcado com a morte - e se vestem, calçam-se, vão ao banco, compram o jornal. Chegam a dizer "até amanhã" quando amanhã não há."
Roberto Pompeu de Toledo (VEJA-24/03/2004)
Sosígenes Bittencourt

Sunday, October 11, 2009

Festa do Abacaxi e abacaxi

Confesso que tive vontade de ir dar uma olhadinha na Festa do Abacaxi, que está acontecendo ali na cidade de Pombos, no rodapé da Serra das Russas. Até fiquei em casa, durante a tarde, para estar mais disposto à noitinha. Sou noctívago de nascença. Todavia, soube que a festa de rua anda lotada, de não caber um palito de picolé e ninguém poder se coçar. Tem gente de toda cor e tamanho, e de toda cidade circunvizinha.
Embalados pela ‘fuleiragem music’, a meninada está enchendo a caveira de cachaça e dando trabalho à Polícia. Diz que havia uma tulha de bagunceiros em decúbito dorsal, para serem encaminhados à Delegacia local. Chuparam abacaxi com aguardente e fizeram confusão. Bêbado, você sabe, só faz o que não presta. Uns arengam por causa de besteira, um cotoco de cigarro, um tostão, mulher sem vergonha, homem relaxado. Outros ficam enxeridos, se amostrando, cobiçando a mulher do próximo, querendo afanar o alheio. Alguns se esquecem que o dinheiro acabou e querem beber, fazer fiado na marra. Em resumo, tive medo de ter que dar uma carreira, já na casa dos cinquenta, sem essa bola toda. Contudo, aos que comemoram o abacaxi, que São João dos Pombos os protejam de confusão, e que reine a união.
Forte abraço!
Sosígenes Bittencourt

Saturday, October 10, 2009

Dirimindo dúvidas

Quando digo num de meus comentários que "produzo minhas crônicas", e isto valoriza o meu blog, alguém poderá perguntar: E quem produz crônica para outrem? E aí, respondo: O Ghost Writer, ou seja, o escritor fantasma. Tem muita gente brilhando nas costas do Ghost Writer. O escritor fantasma produz a obra, e o contratante paga. Como, no meu caso, todos sabem, por conhecerem o meu estilo, que eu as produzi, isto valoriza sobremaneira o meu trabalho.
Aquele abraço!
Sosígenes Bittencourt