Monday, January 26, 2009

Alma-de-gato


Dizem que o gato tem 7 fôlegos. Porém, Billy, o gato de seu Eurico Siqueira da Rosa, no município de Antônio João (Mato Grosso do Sul), teve direito a 7 meses do Bolsa-Família. O rabo de fora foi visto pelo agente de saúde Almiro dos Reis Pereira, quando foi convocar a criança para ser pesada no Posto de Saúde, uma exigência do programa.
Inocente, a dona da casa alarmou: “Mas o Billy é meu gato.” O bichano estava cadastrado como Billy da Silva Rosa. É que seu Eurico, marido da abestalhada, era coordenador do Bolsa-Família na cidade. A alma-de-gato recebia 20 reais pelo mamífero e 62 reais por dois filhos fantasmas desde o início de 2008. Exonerado, vai ter que devolver o dinheiro, segundo o promotor Douglas Oldegar. Tem jeito?
Sosígenes Bittencourt