Sunday, December 07, 2008

Divórcio e Bodas Celestiais


Aos 30 anos do sacramento do divórcio, o IBGE revela que o número de casamentos aumentou “assustadoramente”, e o de separação conseqüentemente.
Em 2007, 916 mil casais se deram o “sim” e 180 mil se arrependeram. Somando tudo, entre divórcios e separações, a estatística aponta 231 mil casais envolvidos na trama. Portanto, 462 enganados.
Outro dado é de que entre 4 matrimônios, 1 desafiou as bênçãos de Santo Antônio. Imagine, daqui pra frente, com o dólar subindo e as Bolsas caindo.
O gerente de Estatísticas Vitais do IBGE, Cláudio Crespo, mostra que as meninas entre 15 e 19 anos estão danado se casando, enquanto a nupcialidade entre sexagenários masculinos é o dobro em relação às senhoras.
Casamento cedo demais é geralmente desobediência e vexame. É querer oficializar xamego. Nada a ver. Casamento e filho são coisas sérias. Não raro, tem uma mãe reclamando: "Eu não disse que essa invenção não dava certo; que essa menina não tinha idade pra isso; que isso era uma palhaçada." O poeta Carlos Drummond de Andrade disse num de seus poemas: “Amor é privilégio de maduros.”
A exemplo, em Monte Alto (SP), o espanhol Luiz Perez Galindo, 101 anos, e Julieta Paganassi, de 100, acabam de completar 81 anos de união conjugal. O casal tem 7 filhos, 22 netos, 30 bisnetos, 6 trinetos e 1 tataraneto. Julieta conta que se lembra de tudo, tintim por tintim, envergando-se toda, para beijar seu Luiz, sem demonstrar nenhuma caduquice. Filhos e vizinhos fizeram festa para comemorar, naturalmente, as Bodas Celestiais do casal.
Sosígenes Bittencourt